22 setembro 2017

Wander

Tietar nunca foi comigo. Sei lá, fico constrangida e desconfortável, não consigo explicar. Mas sexta-feira, dia 15, foi IMPOSSÍVEL me controlar. Porque fui ao show do Wander Wildner, um dos caras que mais ouvi em toda minha vida.
Ouvi Wander quando era adolescente. Ouvi Wander enquanto crescia e me fodia, enquanto me metia em encrencas em série, enquanto tentava entender o que diabos estava acontecendo aqui. Ouvi Wander quando fui feliz, e quando fui triste também. Ouvi Wander quando fui morar longe de casa e me sentia tão, tão, tão sozinha. De certo modo, era ele quem me fazia companhia.
Ouvi Wander ontem, ouço Wander hoje, e com toda a certeza do mundo ouvirei Wander amanhã.
Este foi o primeiro show dele que eu assisti, e nunca vou esquecer – vide minha cara emocionada ali, ao lado dele, tietando descaradamente.
E a única coisa que eu disse pra ele foi: OBRIGADA.
Porque, sinceramente, não havia mais nada que eu poderia lhe dizer.