19 abril 2011

Sejamos gays.

Texto retirado do blog #EuSouGay.
Acreditem: vale cada segundo de leitura.
Observação: os negritos são meus.

Adriele Camacho de Almeida, 16 anos, foi encontrada morta na pequena cidade de Itarumã, Goiás, no último dia 6. O fazendeiro Cláudio Roberto de Assis, 36 anos, e seus dois filhos, um de 17 e outro de 13 anos, estão detidos e são acusados do assassinato. Segundo o delegado, o crime é de homofobia. Adriele era namorada da filha do fazendeiro, que nunca admitiu o relacionamento das duas. E ainda que essa suspeita não se prove verdade, é preciso dizer algo.
Eu conhecia Adriele Camacho de Almeida. E você conhecia também. Porque Adriele somos nós. Assim, com sua morte, morremos um pouco. A menina que aos 16 anos foi, segundo testemunhas, ameaçada de morte e assassinada por namorar uma outra menina, é aquela carta de amor que você teve vergonha de entregar, é o sorriso discreto que veio depois daquele olhar cruzado, é o telefonema que não queríamos desligar. É cada vez mais difícil acreditar, mas tudo indica que Adriele foi vítima de um crime de ódio porque, vulnerável como todos nós, estava amando.
Sem conseguir entender mais nada depois de uma semana de “Bolsonaros”, me perguntei o que era possível ser feito. O que, se Adriele e tantos outros já morreram? Sim, porque estamos falando de um país que acaba de registrar um aumento de mais de 30% em assassinatos de homossexuais, entre gays, lésbicas e travestis.
E me ocorreu que, nessa ideia de que também morremos um pouco quando os nossos se vão, todos, eu, você, pais, filhos e amigos podemos e devemos ser gays. Porque a afirmação de ser gay já deixou de ser uma questão de orientação sexual.
Ser gay é uma questão de posicionamento e atitude diante desse mundo tão miseravelmente cheio de raiva.
Ser gay é ter o seu direito negado. É ser interrompido. Quantos de nós não nos reconhecemos assim?
Quero então compartilhar essa ideia com todos.
Sejamos gays.
Independente de idade, sexo, cor, religião e, sobretudo, independente de orientação sexual, é hora de passar a seguinte mensagem pra fora da janela: #EUSOUGAY
Para que sejamos vistos e ouvidos é simples:

1) Basta que cada um de vocês, sozinhos ou acompanhados da família, namorado, namorada, marido, mulher, amigo, amiga, presidente, presidenta, tirem uma foto com um cartaz, folha, post-it, o que for mais conveniente, com a seguinte mensagem estampada: #EUSOUGAY

2) Enviar essa foto para o mail projetoeusougay@gmail.com

3) E só.

Todas essas imagens serão usadas em uma vídeo-montagem que será divulgada no You Tube e, se tudo der certo, por festivais, fóruns, palestras, mesas-redondas e no monitor de várias pessoas que tomam a todos nós que amamos por seres invisíveis.
A edição desse vídeo será feita pelo Daniel Ribeiro, diretor de curtas premiados como Café com Leite e Eu Não Quero Voltar Sozinho.
Quanto à minha pessoa, me chamo Carol Almeida, sou jornalista e espero por um mundo melhor, sempre.
As fotos podem ser enviadas até o dia 1º de maio.
Como diria uma canção de ninar da banda Belle & Sebastian: ”Faça algo bonito enquanto você pode. Não adormeça.” Não vamos adormecer. Vamos acordar. Acordar. Acordar Adriele.

Vai dizer que tu não é?

13 abril 2011

Bolsonaro, Tas e os Cães que Ladram.

A história foi assim: o deputado federal Jair Bolsonaro participou de um quadro do programa CQC, da Rede Bandeirantes, chamado O Povo Quer Saber, onde respondia a perguntas feitas por diferentes pessoas, de diferentes lugares e sobre os mais variados assuntos. Nesta pequena entrevista, nosso excelentíssimo deputado fez o que todos esperavam que ele fizesse: repetiu seu discurso preconceituoso sobre negros e gays sem tirar nem pôr. Sim, porque Bolsonaro nunca disse absolutamente nada de diferente do que falou no CQC. Seu histórico racista e homofóbico data dos primórdios de sua candidatura, e mesmo assim ele está em seu sexto mandato.
É. SEXTO. Durmam com um barulho desses.
O fato é que eu não havia visto o CQC neste dia, mas passei a semana inteira ouvindo falar sobre o assunto, que repercutiu estrondosamente. O programa seguinte eu estava assistindo, e naturalmente o tema foi abordado mais uma vez, até porque o episódio, que tanto pano deu pra manga, aconteceu justamente ali. Os CQCs entrevistaram pessoas, políticos e, claro, o próprio Bolsonaro, que não retirou nada do que disse, mas puxou do bolso uma foto de um sujeito que, segundo ele, é seu cunhado – além de mulato – e pronunciou: vejam, ele é negro, é meu cunhado e eu o amo. Ok. Não foi exatamente isso, mas era por aí. Quando voltou ao estúdio, Marcelo Tas também puxou de baixo de sua bancada uma foto de sua filha Luiza, de 22 anos, que estuda nos Estados Unidos, possui excelentes credenciais e é gay. Marcelo afirmou que sente muito orgulho dela, e terminou o CQC.
Eu achei aquilo bem bacana da parte do Tas, e até comentei o acontecido com a minha mãe.

Luiza e Tas.
No entanto, durante a semana, ouvi comentários de alguns chatonildos sobre o que consideravam a ‘atitude mesquinha’ de Marcelo Tas. Disseram que mostrar a imagem de sua filha e dizer que ela é gay e que tem orgulho dela e iabadabadú foi ‘apelativo e desnecessário’. Aparentemente, algumas pessoas acharam que Tas insinuou que ‘APESAR DE’ gay, ele se orgulhava de sua filha – logo, foi preconceituoso também. E mais: que nem deveria ter dado espaço em seu programa para xiitas malucos da categoria de Bolsonaro, pois isso apenas insuflava e dava eco aos cidadãos que não somente pensam como Bolsonaro, como também votam nele.
Uma frase que muito li e ouvi por parte destas pessoas foi a proferida certa vez por Millôr Fernandes: “Não se amplifica a voz dos imbecis”.
Bem. Eu não acredito em nada disso, e considero o conceito de imbecil tremendamente relativo, já que aquilo que é imbecil para mim pode não ser para você.
Mas acredito, sim, que somos todos iguais, não somente perante a lei, mas perante qualquer situação. Nossa constituição diz exatamente a mesma coisa. No entanto, apesar disso, muita gente, muita gente mesmo, pensa diferente de mim, de ti e da constituição, e acredita piamente que algumas pessoas, por serem gay, negras ou jogadoras de rúgbi, são diferentes, e mais: são inferiores também.
É um absurdo, eu sei, mas o mundo está cheio de militantes hitleristas disfarçados sob as mais variadas formas – e é exatamente aqui que reside o problema.
É consenso que ninguém tem o direito de atentar violentamente contra quem quer que seja. Contudo, a mesma lei que pune crimes como homofobia e preconceito, garante o direito a liberdade de expressão de qualquer cidadão, independente de suas crenças e opiniões, e isto se chama DEMOCRACIA.
Como disse o economista americano - e negro - Walter Willians, em entrevista que tive oportunidade de ler recentemente, “o verdadeiro teste sobre o nosso grau de adesão à idéia da liberdade de associação não se dá quando aceitamos que as pessoas se associem em torno de idéias com as quais concordamos. O teste real se dá quando aceitamos que as pessoas se associem em torno de idéias que julgamos repugnantes. O mesmo vale para a liberdade de expressão. É fácil defendê-la quando as pessoas estão dizendo coisas que julgamos positivas e sensatas, mas nosso compromisso com a liberdade de expressão só é realmente posto à prova quando diante de pessoas que dizem coisas que consideramos absolutamente repulsivas”.
Isso significa que, por mais que eu, você e nossos amigos acreditemos na igualdade, e achemos o preconceito de qualquer espécie tão absurdo que chega aos limites do inacreditável, nem todo mundo concorda conosco. E da mesma maneira que temos o direito garantido por lei de acreditar que somos todos iguais, outros possuem o mesmo direito, garantido pela mesma lei, de achar que não, que não somos todos iguais.

Bolsonaro
Preconceito, homofobia e racismo são assuntos que precisam ser levantados e debatidos à exaustão, bem como, por exemplo, aborto e legalização de drogas. A discussão destes temas, por mais inútil e desagradável que nos pareça, necessita acontecer com a seriedade e a atenção devida.
O CQC, quando trouxe Bolsonaro para uma entrevista, sabia o que Bolsonaro pensava. E o objetivo era justamente este. Colocar um homem que ocupa um cargo representativo em nossa sociedade na frente dos holofotes, e apresentar a quem pudesse interessar tudo o que ele pensa, tudo no que ele acredita. E, sendo ele representante de uma parcela da população brasileira (repito: ele está em seu sexto mandato), expor o que boa parte dos brasileiros também pensa, também acredita. Pois, podem crer os politizadões: a maioria das pessoas sequer sabia que o Bolsonaro existia. Trazendo o Bolsonaro para a TV aberta, em um programa assistido por milhares de jovens (muitos, apesar da pouca idade, já bastante preconceituosos), o CQC, além de apresentar para a maioria da população brasileira o excelentíssimo deputado e suas excelentíssimas opiniões, trouxe também à tona o assunto preconceito & homofobia. A prova foi a semana que procedeu a fadada entrevista, onde todo mundo se debruçou sobre este assunto que, inacreditavelmente e em pleno século 21, ainda é tabu. Pode não ser para mim, pode não ser para você nem seus amigos; mas o é para mais gente do que sua vã filosofia pode supor.
É de suma importância que entendamos que o problema é bem maior do que parece, ou do que nos é confortável acreditar. E quando arrancamos um assunto deste porte do fundo do baú e nos propomos a falar sobre ele, encara-lo de frente, nem que seja na marra, alguma coisa começa a se modificar.
E isso é saudável.
Somente falando sem medo sobre um tabu é que poderemos quebrá-lo.
Tas mostrou a foto de sua filha para nada, além de dizer para um país preconceituoso, porém enrustido, que ele tem uma filha homossexual e não somente caga para isso como se orgulha dela pela pessoa que ela é. E Tas, independente do que você pense sobre ele, é um homem conhecido, respeitado e solicitado, ídolo de algumas milhares de pessoas que o vêem como exemplo, que o admiram, que assinam embaixo de tudo o que ele escreve.
Acham pouco?
Pois saibam que existem mais pais e mães escondendo até mesmo de si próprios que o filho é gay do que andorinhas no verão. Logo, não seria corajoso assumir isto assim, ao vivo, publicamente, nacionalmente e, mais importante do que tudo: tranquilamente?
Eu acho que é. E digo mais: tenho certeza absoluta que mais da metade destes cães que agora ladram contra a atitude de Tas não teriam a mesma coragem que ele teve, caso estivessem em seu lugar, ocupando a sua posição.
.
Cão latindo.
Lógico que isso devia ser comum, e dizer em rede nacional que sua filha é gay deveria ser tão sem sentido quanto dizer que sua filha é, sei lá, ruiva. MAS NÃO É ASSIM QUE É, BÊIBES. Para além dos barzinhos onde as pessoas alternativas-e-descoladas se reúnem para tomar cerveja e citar Rimbaud existe um mundo alienado, potencialmente perigoso, que não pode ser ignorado. Que não deve ser renegado nem mesmo desmerecido em sua importância. O preconceito existe, e muito, quer queiram, quer não queiram, e para ser eliminado precisa, antes de tudo, ser identificado.
Aliás.
Aproveito para deixar aqui o link de um projeto muito legal chamado Sejamos Gays. A idéia é que cada pessoa envie para o e-mail projetoeusougay@gmail.com uma foto sua (“sozinho ou acompanhado da família, namorado, namorada, marido, mulher, amigo, amiga, presidente, presidenta”) com um cartaz, folha, post-it, o que for mais conveniente, com a seguinte mensagem estampada: #EUSOUGAY.
O objetivo é usar estas imagens numa vídeo-montagem que será divulgada no YouTube. A idéia é, nada mais nada menos, do que manter este assunto em voga, mais ou menos como eu tentei fazer com a campanha Todos Contra o Crack!, pois, como já disse a Avon, é conversando que a gente se entende.
Por isso e muito mais, apóio a iniciativa #EUSOUGAY, e em breve enviarei minha foto.
Também apóio o CQC, e achei a atitude do Tas bacana e corajosa.
E, muito importante: apóio qualquer iniciativa que saia dos barzinhos alternativos-e-descolados, onde os cães politizadões ficam sentados a madrugada inteira acreditando que o mundo é um submarino amarelo, e vá para as ruas, alcançando o máximo possível de pessoas e esfregando em suas caras uma verdade que, apesar de discordamos, de repugnarmos, de abominarmos, existe, e precisa ter um fim.
E este fim só acontecerá quando pararmos de agir baseados naquilo que deveria ser, e não naquilo que é.

05 abril 2011

Email que recebi sobre a Associação Amigo Bicho e a Feira de Pequenos Animais: LEIAM!

(Só lhes peço perdão pela ortografia, leitores queridos, mas publico a mensagem recebida na íntegra)

Subject: mostra de pequenos animais
Date: Sat, 26 Mar 2011 03:16:56 +0000

BOA NOITE JANA SE DEPENDER DE PESSOAS RADICAIS COMO VOCÊ O MUNDO ACABA AMANHÃ. SE A FEIRA DE PEQUENOS ANIMAIS TEM PROBLEMAS LEGAIS CERTAMENTE SERÃO RESOLVIDOS POIS UMA MOSTRA DE SUCESSO HÁ 25 ANOS NÃO VAI ACABAR PORQUE MEIA DUZIA DE "BURGUESES" QUE SE DIZEM DEFENSORES DE ANIMAIS A QUEREM ACABAR POR MOTIVOS BANAIS , POIS NÃO PROPÕEM UMA NEGOCIAÇÃO . NEGOCIAR É UMA ATITUDE INTELIGENTE E SENSATA DE PESSOAS E ENTIDADES QUE QUEREM MELHORAR O MUNDO. EM TEMPO : QUE ANIMAIS VOCE CRIA? RAÇAS E NOMES DOS MESMOS? SE NÃO LI ERRADO VOCE FAZ PARTE DE UM GLEBA DE ESCRITORES" ASSASSINOS S.A." . É MUITO TRISTE NÃO RECONHECER QUE A FEIRA É GERADORA DE EMPREGO. PARA MIM SE ACABAR VOU A JUSTIÇA TAMBÉM REQUERER QUE MEUS GANHOS HÁ 10 ANOS NESTA FEIRA SEJAM PAGOS PELA ENTIDADE QUE SE ACHA DONA DA VERDADE . MOSTRE DOCUMENTOS QUE PROVEM TUDO QUE VOCE AFIRMA, BUSQUE AS DONAS DE ANIMAIS MORTOS PARA RELATAREM COMO CUIDARAM DOS MESMOS POIS EM TODO O PLANETA NASCER E MORRER É EXPLICADO CIENTIFICAMENTE E ATÉ PELOS DESIGNIOS DE DEUS. SE TODO SALÃO DE BELEZA TIVER TANTAS VERDADES NÃO PRECISAMOS DE MIDIA BASTA REUNIR AS FITAS DE VIDEO DOS MESMOS. SEJA MAIS AMIGA NÃO SÓ DOS ANIMAIS MAS ACIMA DE TUDO DE PAIS DE FAMILIA QUE VIVEM HONESTAMENTE HÁ MUITOS ANOS DE TRABALHAR EM FEIRAS DE PEQUENOS E GRANDES ANIMAIS.GUARDE SEU RANCOR PARA VOCE E OS SEUS USE A INTERNET PARA UM MUNDO MELHOR NÃO PARA ATACAR PESSOAS DE FORMA GRATUITA COMO SE "ASSASSINOS" FOSSEMOS, POIS SE VOCE NÃO SABE LUTAMOS COM HONESTIDADE, BONDADE, E CUIDADOS CIENTIFICOS. A FEIRA DE PEQUENOS ANIMAIS DE PASSO FUNDO DURA APENAS 5 DIAS TEMPO INSUFICIENTE PARA GERAR TANTOS MALES QUE VOCE E SUA INSTITUIÇÃO PREGAM AOS ANIMAIS , QUE SE NÃO FOSSEM TRATADOS COM TANTO AMOR E CARINHO JAMAIS CHEGARIAM TÃO LINDOS PARA SEREM VENDIDOS. RECONHEÇA O TRABALHO DOS OUTROS PARA QUE POSSAM RECONHECER O SEU. SE OS ANIMAIS DA FEIRA SOFRESSEM O QUE VOCE DIZ , QUANDO CRIANÇA VOCE FOI DIVERSAS VEZES A FEIRA PORQUE NÃO OBSERVOU TUDO ISTO? PORQUE NÃO É TUDO ISTO!!!!!!!!!! AS CRIANÇAS SÃO AS PRIMEIRAS A OBSERVAREM TAIS MALDADES. ME PARECE QUE APENAS É UM PONTO DE VISTA MUITO ÍNFIMO PARA QUERER "ACABAR" COM UM EVENTO TÃO MARAVILHOSO . PEÇO RESPOSTA PARA ENTENDER MELHOR TUDO , MAS SE VOCE NÃO CRIA ANIMAIS POR FAVOR NÃO RESPONDA PORQUE HIPOCRISIA NÃO FAZ PARTE DO MEU MUNDO. MEUS FILHOS AMAM NOSSO BETHOVEN _CÃO PASTOR NOSSO MARAVILHOSO GUARDIÃO DE NOSSA CASA, MADONA NOSSA LINDA COELHA DE OITO ANOS, NOSSOS MARAVILHOSO GATOS GARFIELD , BRANCA E FLOCO DE NEVE NOSSA CASA É SÓ ALEGRIA COM ESSES ANIMAIS LINDOS , E OS SEUS? FALE DELES. A MOSTRA DE PEQUENOS ANIMAIS NÃO É SÓ ANIMAIS TEM OUTROS LINDOS E MARAVILHOSOS ATRATIVOS ME PARECE QUE VOCE E SUA ENTIDADE SÃO TÃO RADICAIS QUE NÃO MENCIONAM TUDO DE IMPORTANTE QUE ESTA SENSACIONAL FEIRA TEM . TEMOS QUE PARAR NO BRASIL COM PESSOAS E ENTIDADES DONAS DA VERDADE QUE NÃO RESPEITAM O PASSADO DE GLÓRIA TRABALHO E HONESTIDADE DE PESSOAS E EMPRESAS. ACREDITO NA LEI BRASILEIRA E TENHO CERTEZA QUE QUALQUER REVÉS GANHAREMOS NUM FUTURO BREVE TODO RESSARCIMENTO QUE QUEIRAM NOS ATINGIR, QUEM É HONESTO E ÍNTEGRO NADA TEME. NOS RESPEITEM, SOMOS DE DIÁLOGO POIS O DIÁLOGO É A FONTE DA SABEDORIA. ASSINO: FELICIANO FALCÃO

From: jana.lauxen@hotmail.com
To: homemdogato@hotmail.com
Subject: RE: mostra de pequenos animais
Date: Tue, 5 Apr 2011 02:54:55 +0300

Olá Feliciano.
Boa noite.
Primeiramente gostaria de agradecer seu contato.
É sempre um enorme prazer receber e-mails dos leitores do meu blogue, especialmente os bem educados, como o seu.
No entanto, não compreendi porque um pai de família trabalhador e honesto como você perdeu o seu precioso tempo escrevendo para uma burguesa radical e rancorosa como eu. Mas enfim, cada um gasta seu tempo como acha melhor, não é?
Pelo que entendi, você é um dos muitos que ganham dinheiro com a Feira de Pequenos Animais. E, veja bem, não estou dizendo que você maltrata os animais, mas tampouco acredito que esteja você em condições de defender TODOS os criadores de fundo de quintal que lucram com esta feira, assim como você lucra.
Mas vamos lá:
Nunca nos recusamos a negociar, como você disse no início do seu e-mail. Muito pelo contrário. Quem parece se recusar a sentar, conversar e se acertar são os organizadores da feira que, assim como você, nos creditam como radicais, e acham que ganhar dinheiro é mais importante do que qualquer outra coisa – inclusive o bem-estar dos animais.
Que animais eu crio? Você me pediu raças e nomes, correto? Pois eu simplesmente não lhe devo satisfações da minha vida, meu caro, mas esta pergunta faço questão de responder: crio três cachorros e três gatos. Seus nomes: os cães Fredi e Capitão (da raça Collie), Zé Ruela (vira-lata) e os gatos Gorda, Pequena e Ceguinho, todos vira-latas também, sendo o último, como o próprio nome diz, cego. Fora os Collies, os outros animais eu peguei na rua, sendo que o Zé, o mais velho (tem 15 anos e câncer) estava semi-morto no meu portão depois de uma noite terrível de chuva invernosa.
E não, você não leu errado. Eu sou escritora sim, e Assassinos S/A não é uma ‘gleba de escritores’, como você gentilmente escreveu, mas uma coletânea de contos policiais brasileiros voltada para publicar jovens escritores que não encontram espaço em grandes editoras.
E sinceramente? Eu não reconheço uma feira geradora de emprego que se baseia em maus tratos em prol do lucro. Ah, ela dura cinco dias e isto não é tempo suficiente para matar os animais? Concordo. Porém, caso você não saiba, os animais não existem somente durante aqueles cinco dias. Antes de chegar naquele pavilhão horroroso, abafado e abarrotado de gente eles já existiam, e os maus tratos começam desde a procriação indiscriminada das fêmeas, até a falta de assistência durante a gestação, bem como a ausência de vacinação dos filhotes e as condições em que são mantidos até chegarem lá. Veja bem: eu não estou julgando o seu trabalho – ao contrário do que fez ao meu trabalho – e talvez você seja, sim, um criador sério. Mas me desculpe: você não está em condições de falar sobre todos os criadores de animais que lucram com a amostra de pequenos animais. Ou você conhece todos, e acompanha seus trabalhos de perto, diariamente? Aposto que não.
Também não queremos que a feira acabe. Se tivesse lido com atenção o post do meu blog, teria entendido esta parte. Mas já que você não fez isto, vou lhe explicar direitinho: queremos apenas que a feira se enquadre no que diz as leis estaduais e federais. Assim sendo, ela pode prosseguir acontecendo eternamente. Porém nos moldes como está não pode continuar.
Também não sou rancorosa como disse, e uso a internet para lutar por aquilo que julgo ser o correto, e, me desculpe: não vai ser um cara mal educado como você que vai me dizer o que escrever, ou não, em meu blogue. Se quiser crie um blogue pra você e defenda o que quiser lá dentro. Eu te garanto que não vou me meter, porque tenho mais o que fazer da vida.
E mais: nem eu nem a entidade da qual faço parte nos dizemos donos da verdade. Quem parece ser sócio-proprietário da verdade absoluta aqui é você, que me mandou um e-mail grosseiro falando um monte de disparates infundados, baseados em nada mais do que a sua simplória opinião.
Você acredita na lei brasileira? Eu também. Da mesma maneira que igualmente acredito que quem é honesto e íntegro nada deve temer, e que o diálogo é a única coisa que nos torna civilizados. Mas, se por acaso o resultado deste imbróglio sair diferente do que você imagina, faça exatamente como me falou que fará: vá a justiça requerer que seus ganhos sejam pagos pela nossa entidade. Isso só confirma o que eu penso sobre a feira, você e seus demais expositores.
Em tempo: não que lhe interesse, mas este é o site da Associação Amigo Bicho da qual faço parte e que, em seu e-mail, você chama de radical e burguesa: http://amigobicho-pf.blogspot.com/  
Ali você saberá mais sobre o nosso trabalho, e verá o trabalho (este sim maravilhoso, lindo e sensacional) que nossas voluntárias fazem em prol dos animais abandonados – muitos destes animais, inclusive, adquiridos de maneira impulsiva em feiras como esta, que o senhor promove e defende, e depois abandonados, pela falta de estrutura física e emocional de seus compradores.
Mas isso, pelo jeito, não lhe interessa muito né?
Outra coisa importante: todas as voluntárias que trabalham pelos animais abandonados através da Associação Amigo Bicho NÃO GANHAM NADA PARA ISSO. Pelo contrário: gastam, e muito, com tratamentos, esterilizações e muitos outros cuidados que animais rejeitados e maltratados necessitam. E se quiser, aqui você poderá escutar a entrevista que a Maria de Lourdes, nossa representante, deu para uma rádio local falando sobre o nosso ponto de vista sobre a feira: http://amigobicho-pf.blogspot.com/2011/03/amigo-bicho-na-radio-planalto-falando.html  
E, a propósito, agora deixe eu me intrometer um pouco na sua vida: você, que é tão trabalhador, honesto e pai de família, FAZ O QUE PELOS ANIMAIS ABANDONADOS?
Se não fizer nada, nem responda este e-mail, porque eu também não trabalho com hipocrisia.
Passar bem.
Jana