29 maio 2010

Craques.

O Blogue da Jana, preocupado que é com o bem-estar intelectual de seus leitores, decidiu fazer este generoso post com citações preciosas de grandes pensadores que - desculpem-me a franqueza - fazem Nietzsche parecer um moleque bocó de quarta série.
Mas antes de prosseguirem preparem-se emocionalmente, pois a leitura destas frases, manifestação máxima da capacidade do intelecto humano, deixará sua naftalina nas alturas.
Peraí, eu disse naftalina?
Sim, eu disse naftalina.
E ainda me perguntam por que eu gosto de futebol.

“O meu clube estava à beira do precipício, mas tomou a decisão correta: deu um passo à frente”.
(João Pinto, jogador do Benfica de Portugal)

“Tenho o maior orgulho de jogar na terra onde nasceu Jesus Cristo”.
(Claudiomiro, ex-meia do Internacional, ao chegar a Belém do Pará para disputar uma partida contra o Paysandu, pelo Brasileirão de 72)

“A partir de agora o meu coração só tem uma cor: vermelho e preto”.
(Fabão, assim que chegou ao Flamengo)

“Nem que tivesse dois pulmões eu alcançava essa bola”.
(Bradock, reclamando de um passe longo)

“Quando o jogo está a mil, minha naftalina sobe”.
(Jardel, ex-atacante do Vasco, Grêmio e da Seleção)

“Eu peguei a bola no meio de campo e fui fondo, fui fondo, fui fondo e chutei pro gol”.
(Jardel, ao relatar ao repórter o gol que tinha feito)

“O difícil, como vocês sabem, não é fácil”.
(Vicente Matheus, ex-presidente do Corinthians)

Esta última, admito, é uma de minhas favoritas - apesar de que não consigo tirar Claudiomiro do meu coração.
Reflitam sobre isso durante o final de semana, e não.
Não precisam me agradecer.
Fui fondo.