18 agosto 2009

O Troféu.

- O Brasil não apóia seus artistas.
- O Brasil não incentiva seus artistas.
- O Brasil não paga seus artistas.
- O Brasil não lambe a bunda de seus artistas.

Discursos mais fáceis de encontrar em uma mesa de bar do que arroz em festa de casamento.
Conheço três milhões de pessoas que já passaram metade de suas vidas ordinárias em cima de um banquinho, fazendo seus discursos xaropes sobre o quanto tudo é muitíssimo difícil, e muitíssimo complicado, e muitíssimo blábláblá.
Só sabem falar, e falam como ninguém.
Pessoas que, se ganhassem dinheiro para reclamar, já estariam na lista dos dez mais ricos da Forbes.
Mas fazer, que é bom, não mesmo.
Pois graças a Deus - que é pai, não padrasto - existem muitas outras pessoas que deixam as preleções remelentas de lado, colocam a mão na massa e saem de suas bolhas idiotas para o mundo.
E é por causa destas pessoas que, em se tratando de arte e produção, o Brasil é um país que merece destaque e atenção, sim senhor!
E do mesmo jeito que tenho o desprazer de conhecer estas três milhões que só sabem fazer dos meus ouvidos penico para suas lamúrias, tenho a sorte, o privilégio e a alegria de ter a minha volta uma meia dúzia que não tem tempo a perder com divagações que não levam a lugar nenhum, e que fazem, e fazem muito bem feito.
Uma destas pessoas que tive a felicidade de conhecer foi o Sergio Chaves.
Um guri que há bastante tempo vem remando contra a maré de dificuldades que aparece para qualquer pessoa que resolve transformar em verdade aquilo que, até pouco tempo, era fantasia.
Primeiro ele inventou o Fanzine Justiça Eterna, e se misturou com um monte de projetos e artistas pra lá de legais, até fundar a querida, amada, idolatrada, salve, salve, Revista Café Espacial - que eu já trato como se fosse minha.
Conheci a Café a pouco mais de um ano, fuçando internet afora, e de cara me interessei.
Enviei um conto para tentar colaborar e tratei de encomendar todos os exemplares que havia disponíveis (na época, as edições 1, 2 e 3).
Adicionei Sergio no Orkú e no MSN e passamos a trocar muitas figurinhas raras, até o dia feliz em que fui convidada para entrar, definitivamente, para a equipe espacial.
O que eu aceitei com um sorrisão besta e de dar câimbra na cara.
E assim, vivendo mais de perto a realidade de uma revista independente, acabei acompanhando os problemas naturais de um projeto desta pretensão: colaboradores de egos gordinhos, outros bastante infantis, dificuldades de distribuição, falta de grana.
Aquelas coisas todas que os chatos reclamam sem nem ao menos saber do que estão falando.
Mas apesar destas adversidades básicas, Sergio e sua equipe continuaram, e continuam.
Muitas vezes rindo para não chorar, é verdade, mas sempre adiante, sabendo que todo esse esforço traz também muitas recompensas.
E nem me refiro a lucros.
Ninguém está falando de dinheiro aqui.
Ah, você não sabe o que estou querendo dizer?
Então nem vai adiantar te explicar, bêibe.

Enfim.
O fato é que uma destas recompensas deliciosas, ricas e gratificantes veio ontem, com a publicação oficial dos vencedores do Troféu HQMix 2009: a Café Espacial ganhou na categoria Melhor Publicação Independente de Grupo!
Uhú!
A premiação será realizada na próxima sexta-feira (dia 21), a partir das 20h, no Teatro SESC Pompéia (Rua Clélia, 93 – Pompéia – São Paulo).
O evento, como de praxe, será capitaneado pelo apresentador Serginho Groisman, padrinho da premiação, e sua banda.
E o mais legal é que, apesar de toda a dedicação e de todo o carinho com o qual o Sergio trata a Café, não foi só por causa dele que levantamos esse troféu, agora.
Digo levantamos porque todos os queridos que ajudam a fazer a Café também ganharam este prêmio.
E falo aqui de André Chaves, Bárbara Stracke, Daniel Esteves, DW, Ebbios, Fábio Lyra, Fernanda Chiella, Gus Morais, Laudo Ferreira Júnior, Laura Gattaz, Lídia Basoli, Lese Pierre, Mário Cau, Paula Mello, Samanta Flôor, Shiko, Sissy Eiko e Sueli Mendes, além de muitos outros que continuam firmes e fortes nesta peleja que não é nada fácil; mas é absolutamente divertida.
E eu só posso agradecer a todo mundo a belíssima oportunidade de fazer parte de tudo isso, de um projeto tão incrivelmente foda e que, sem sombra de dúvidas, deixa a literatura, os quadrinhos, a música e toda a forma de arte produzida neste Brasilzão de meu Deus, muito mais Espacial.
Um brinde.
Com café, é claro.

#

A propósito: aqui está a lista dos vencedores do Troféu nas demais categorias.
E se quiser uma dica das boas, siga a Café no Twitter, adicione a Café no Orkut, entre para a comunidade da Café e, claro: sirva-se a vontade.