18 agosto 2009

Gospel.

Para nosso azar, meu amigo Raul Seixas não está mais aqui, entre nós.
Mas deixou um baú cheio de músicas e, principalmente, cheio de idéias.
Muitas idéias.
Idéias que não se tornaram obsoletas com o passar dos anos, muitíssimo pelo contrário: parecem cada vez mais atuais.
Eu sou fã.
Já li tudo o que escreveram sobre ele, já ouvi todas as suas 245 músicas, já assisti todos os especiais, e todas as homenagens, e todos os clipes e documentários que encontrei pela frente.
Até já revirei o YouTube de cabeça pra baixo, atrás de novidades.
E quando achava que tudo que me faltava era assistir ao documentário O Início, o Fim e o Meio, não é que o Raulzito me aparece com música inédita?
Quer dizer, mais ou menos inédita, pois esta canção era para fazer parte da trilha sonora da novela O Rebu, mas foi rabiscada violentamente por uma caneta vermelha e censurada pelos chatinhos mal amados da ditadura militar.
Acontece que Raul deixou a versão original gravadinha e agora, graças às maravilhas da tecnologia digital, Marco Mazzola recuperou tu-do, e ainda melhorou o que parecia impossível de melhorar.
O resultado?
O clipe que você pode conferir abaixo.
Ah, você não gosta do Raul?
Então, por favor, não me leve a mal: mas saia já daqui.



Gospel
Raul Seixas

Por que que o sol nasceu de novo e não amanheceu?
Por que que tanta honestidade no espaço se perdeu?
Por que que o Cristo não desceu lá do céu e o veneno só tem gosto de mel?
Por que que a água não matou a sede de quem bebeu?
Por que que eu passo a vida inteira com medo de morrer?
Por que que os sonhos foram feitos pra gente não viver?
Por que que a sala fica sempre arrumada se ela passa o dia inteiro fechada?
Por que que eu tenho a caneta e não consigo escrever?
Por que que existem as canções que ninguém quer cantar?
Por que que sempre a solidão vem junto com o luar?
Por que que aquele que você quer também já tem sempre ao teu lado outro alguém?
Por que que eu gasto tempo sempre sempre a perguntar?


Definitivamente, Raul não nasceu a dez mil anos atrás.
Nasceu dez mil anos na frente.
E tenho dito.