29 agosto 2009

Amar é Abanar o Rabo.

Esse é o nome genial de uma coletânea de poesias organizada pelo escritor mineiro Jovino Machado, que reúne poemas seus com poemas de outras escritoras, como Ana Elisa Ribeiro, Simone Neves, Stela do Patrocínio e Brenda Marques, entre outras.
E entre estas outras estou eu, ouiés!

(detalhe para o c* do cãozinho, rarara)

Toda a arte gráfica da edição está sob responsabilidade do artista plástico Daniel Bilac.
O lançamento será em setembro, mas o livro não será comercializado.
Será distribuído gratuitamente entre jornalistas, blogueiros, editores e poetas.
Legal, né?
Para quem não sabe, Jovino é autor de 9 livros de poesias, entre eles os ótimos Cor de Cadáver e Fratura Exposta, que ele teve a gentileza de me enviar – e que eu já devorei.
Quando Amar é Abanar o Rabo sair, podexá que eu aviso vocês, mas enquanto isso, podem ir lendo meu humilde poeminha, que discretamente fará parte desta coletânea muito ótima:

Teu sono.

A cidade dorme, e eu vejo você dormir.
Sorrio, feliz.
A insônia, que sempre trouxe solidão, hoje conforta.
Não fosse ela, não poderia observar você ressonar.

Fecho os olhos e agradeço à noite pelo seu descanso.
Por tê-lo aqui, dentro de minha casa, dentro de mim.
E por este teu amor enorme e sublime,
que abriu todas as portas e janelas e cadeados
e me deixou livre para ir.

Mas não, eu não vou.
Ficarei bem aqui, analisando cada pequeno detalhe de seu descanso.

Não quero nunca mais adormecer.
Porque o teu sono, meu menino
me despertou
.