09 junho 2009

Pronunciamento.

Gosto dessa palavra: pronunciamento.
Por isso a usei como título.
Mas o que vim fazer, na verdade, foi dar umas explicações.
E jogar um pouco de conversa fora, é claro que sim.

Comecemos pelo Blogue Secreto.
Pois é.
Lembram dele?
Um blogue que eu estava criando e enfeitando, e já tinha até divulgado aqui?
Então.
Ele acabou.
Definhou e morreu, antes mesmo de nascer.
Sei que é muito feio anunciar e depois não entregar a mercadoria - e peço encarecidamente que não me denunciem ao Procon - mas as coisas, como sempre, escaparam do meu controle remoto e não há tempo hábil para manter outro blogue.
E se não é para ser um blogue porreta, para o qual poderei me dedicar com amor e carinho, não vou fazer.
Tô certa ou tô errada?
Em compensação (sorriam!) continuarei assídua aqui, e em outros projetos mega-legais que estou participando, como o E-Blogue.com, a Café Espacial, o 3:AM Magazine, o Jornal Vaia, o Beco do Crime e, em breve, o Blog Cabeças Cortadas.
Ou seja: vocês irão enjoar da minha cara.
Não é ótimo?

Mas continuando, quero agradecer MUITO a todo mundo que está comprando e ajudando a divulgar meu livro-primogênito, Uma Carta por Benjamin.
São muitas pessoas, bem mais do que eu poderia imaginar em meus sonhos mais cor de rosas.
E por causa delas, Benjamin não só está esparramado internet afora, como também está enfiado Brasil adentro.
Já está presente, nem que seja com um único exemplar, em mais da metade dos estados brasileiros.
Está em Londres também, e em breve estará indo para a Dinamarca!
Luxo.
O fato é que vocês são uns amores e eu bem que tentei arrumar uma lista aqui com os seus nomezinhos, mas, gente!
Sou péssima fazendo listas!
É por isso, inclusive, que estou proibida pela minha família de fazer a lista do supermercado.
De qualquer maneira, é sempre muito bacana (e um tremendo alento) receber o carinho das pessoas, especialmente se estas pessoas forem completos desconhecidos.
Afinal todo mundo parece tão aborrecido atualmente, e são sempre tão grosseiros e mal humorados e interesseiros que, quando recebemos carinho (e, importante: carinho genuíno, natural), até nos emocionamos.
Eu, pelo menos, me emociono.
O caso é que não consegui fazer a lista porque fiquei com medo de esquecer alguém, e achei melhor deixar isso pra lá.
Quem é, sabe que é, e é isso o que interessa.
Valeu pessoal.

No mais, tenho tido muitas idéias e pouca disposição para sentar e colocar no papel.
Quer dizer, no Word.
O que é péssimo, por que: ou perco a maioria das idéias boas e só lembro das bagaceiras; ou anoto frases em dezenas de papeizinhos - frases estas que, meia hora depois, não fazem sentido nenhum.
É bem angustiante, mas eu sobreviverei.
Fiquem tranqüilos.

E já que este é um post desorganizado e sem objetivos claros, aproveito para deixar registrada minha opinião sobre o aumento do preço dos cigarros e a guerra declarada contra nós, inocentes consumidores de nicotina:
Eu concordo.
Sim, é horrível, mas eu preciso concordar.
Não sei o que acontece, mas as pessoas (e isso, claro, incluiu eu) não fazem nada até que mecham em seus bolsos.
E a dura verdade é que o cigarro é uma porcaria, do mesmo jeito que a cerveja, o toicinho de porco e o leite condensado também são, quando consumidos freneticamente durante dez anos.
É injusto, eu sei, mas é o que é: uma porcaria.
Uma porcaria que, particularmente, eu adoro e quase não me imagino sem, mas ainda assim uma bela porcaria; de uma estupidez gritante.
E deve ser ainda pior para quem não fuma, ter que ficar ali, aspirando fumaça alheia e desenvolvendo enfisemas por tabela.
Agora, é claro: enquanto fumante, achei uma grande merda.
Já estou pra lá de falida, e depois que descobri que eu fumo um aluguel por mês, entrei em franco desespero.
Não que eu não imaginasse isso, mas ter certeza de algumas coisas aniquila com a gente.
Enquanto fumante eu também sei que fumar é um despautério: que é queimar dinheiro para, dali um tempo, estar fodido e cheio de tubos em um hospital. Sei que brocha, que causa infarto, derrame cerebral, aborto, câncer, necrose.
Uma desgraceira só.
É melhor que todo mundo pare mesmo de fumar.
Por bem ou, ao que tudo indica, por mal.

E termina aqui, senhoras e senhores, meu pronunciamento.
Até porque existe um negócio aqui no sul, chamado vento minuano, que entra por qualquer frestinha, por mais minúscula que seja, e alcança seu pescoço a uma velocidade impressionante.
E é isso o que acontece neste momento, com esta que vos pronuncia.
Obrigada Termobrás por fabricar lençóis térmicos.
Boa noite.