06 maio 2009

EGO.

Lembrei de um comercial, sobre um congresso de publicidade e propaganda, que passou há uns quatro anos atrás mais ou menos, onde dois publicitários conversavam enquanto esperavam o elevador. E, como é comum no meio, um babava o ovo do outro:
- O último trabalho da sua agência é muito bom, meus parabéns.
Enquanto o outro respondia:
- Ora, que nada, bom mesmo é o da sua agência.
E atrás deles, dois caras gordos, obesos mesmo, trocavam socos, empurrões, rasteiras e bofetadas.

Sabe quem eram os caras gordos e obesos provocando pancadaria?
Adivinha?
Eles mesmos, meu amigo: o fadado EGO.
Que, aliás, deveria ser perseguido, exterminado, caçado de maneira impiedosa e implacável, queimado vivo em praça pública!
Mas, ao invés disso, não.
Todo mundo trata bem o seu precioso EGO.
Fazem carinho, massagem, colocam para dormir, alimentam, dão Toddynho. Cuidam dele com todo amor e dedicação.

Pois sabe o que eu acho?
Que você precisa botar pra correr esse EGO espaçoso e folgado, que faz da sua vida moradia e ocupa, sozinho, um sofá de três lugares.
Acorda, manézão!
Ele mente para você, te engana, te faz acreditar em mentiras deslavadas!
Teu ego não vale um pila!
Ele é infiel, companheiro, e disso eu tenho certeza.
Ele venda teus olhos e coloca sonífero na sua bebida, e você dorme angelicalmente enquanto o patife faz suruba na tua sala de estar!
Como você não vê?
Como nós não vemos?
Por isso continuamos nos achando grande coisa, enquanto somos levados para passear - pela coleira, é bom salientar - por um EGO gordinho e flácido e mau caráter.

Quer saber do pior?
Eles, os Doutores EGOS, não estão somente nas agências de publicidade e propaganda.
Ó não, antes fosse.
Lá eles se reproduzem com bastante facilidade, é verdade, até porque o habitat é propício, cheio de egos fêmeas e machos, no cio em tempo integral.
Mas a verdade é que os malditos estão por todos os lugares.
Saia pelas ruas (sozinho ou com o seu) e observe: ELES não escolhem sexo, nem profissão, nem classe social, idade ou estado civil. São inescrupulosos, amorais, dissimulados, mal educados e, em alguns casos crônicos, insanos e sociopatas.

Porém, não entre em desespero.
Você ainda pode se libertar!
Sim, meu amigo, nem tudo está perdido!
Por maior e mais forte que seja seu querido EGO, querendo você pode acabar com ele.
Faça assim: envenene seu chá.
Sufoque-o com o travesseiro, enquanto dorme.
Coloque vidro moído na sua comida.
Sabote os freios do seu carro.
Não se sinta mal por atacar pelas costas, porque o EGO - lembre-se - é um filho da puta e safado e já te apunhalou as costelas um número infinito de vezes.

Ele merece morrer.
Ele precisa morrer.
Você tem o direito, quase o dever moral e cívico, de arrancar esta coleira que o teu EGO colocou no teu pescoço.
Coleira esta que impede o oxigênio de circular livremente por teu cérebro, e te deixar pensar.