17 novembro 2008

Suvenir virtual.

Um Cara de 30 me presenteou, gentilmente, com um tal de MEME (não me perguntem, eu também não sei o que significa), que funciona mais ou menos assim:

1. Eu devo escrever uma lista sobre oito coisas que desejo fazer antes de passar desta para melhor.
2. Depois, preciso convidar oito blogueiros para fazer o mesmo.
3. Então, comentar no blogue de quem me ofereceu o Meme.
4. Avisar meus convidados sobre suas convocações.
5. E, por fim, mencionar as regras, coisa que estou fazendo agora.

Particularmente, eu gosto dessas coisas.
Mas devo confessar que bolar uma lista sobre oito coisas que desejo fazer antes de morrer me deprime um pouco.
Aliás, essas coisas sobre coisas a se fazer antes de bater as botas sempre me deixaram aflitas.
Afinal, ninguém TEM QUE fazer nada.
Se virar obrigação ou ordem, eu já broxo.
Então, mais uma vez apelando para a desordem e a anarquia, alterarei sem dó nem piedade este Meme, e descreverei para vocês oito coisas que eu não quero fazer de jeito nenhum antes de morrer.
Acho que fica menos cansativo e óbvio, e talvez até mais engraçadinho.
Bora lá?

1. Ter um filho. Não, obrigada. Crianças me dão medo e me colocam neurótica. Sem contar toda aquela história dos nove meses, barrigão e (urgh!) o parto. Chego a ter palpitações desesperadas. Sou muito mais de um cachorrinho bem treinado. Muito mais.
2. Tentar compreender o filme 2001 Uma Odisséia no Espaço. Aliás, antes de tentar compreender, preciso conseguir assistir até o final. Nada contra o diretor, que gosto pra caramba, mas absolutamente não consigo. Já tentei, já me esforcei, já me culpei, mas não dá. Simplesmente não dá!
3. Praticar algum esporte radical. Nem pagando. Pra que? A vida já é radical o suficiente e, em tempos onde não podemos mais colocar nosso nariz para fora de casa depois das oito horas da noite, dispenso o bungee jump. Dispenso! Próximo.
4. Aprender a dirigir. Isso mesmo: eu não sei, não quero saber, e só não tenho raiva de quem sabe por que preciso de motoristas dispostos a me levar de um lugar para outro, principalmente quando as distâncias são relevantes e o tempo está para chover. Carro, para mim, só serve para poluir o ar, engarrafar as ruas e estressar as pessoas. Agradeço, mas vou de trem.
5. Viajar pelo mundo. Não que eu não me interesse pelo mundo nem por viagens. Até gosto, dos dois. Mas essa coisa de conhecê-lo de cabo a rabo é responsabilidade demais para minhas costas fatigadas e meus bolsos vazios. Prefiro me abster deste compromisso.
6. Comer alguma comida exótica. Nada de grilos fritos, baratas assadas e insetos dos mais variados tamanhos e cores no meu prato. Até porque, quando estou na cozinha, sou capaz de criar uma comida pra lá de exótica apenas fazendo arroz.
7. Ficar milionária. Podem me chamar de nome feio, mas eu não gostaria. Seria bom ter uma grana para pagar as contas e se divertir um pouco, sem neuroses por causa de uma nota de 50 reais. Mas cagar dinheiro, e ter muitas casas grandes, e carros, e iates, e contas no exterior, e bebidas coloridas superfaturadas, não é pra mim. O dinheiro torna a maioria das pessoas péssimas. Não pago pra ver.
8. Me especializar. Nada é mais monótono do que um especialista.

Gostaria somente de deixar bem claro que, se daqui alguns anos vocês me enxergarem na rua com um filho, ou no cinema assistindo Uma Odisséia no Espaço, ou pulando de bungee jump, dirigindo a 120 por hora na rua Augusta, mastigando um grilo, viajando para a Antártida, morando em uma mansão gigante ou ainda especializada em vinhos, não me recriminem!
A gente nunca sabe o dia de amanhã.

Bem, continuando, eu indico, para responder a este Meme, os seguintes blogues:

- Brog da Cami
- Pensandout
- Todos os Ócios & Ofícios
- Arlequim
- Vestígios da Senhorita B.
- Através do Espelho
- A Barata
- Intersemiótica

Aí vocês escolhem se preferem escrever sobre o que gostariam ou o que não gostariam de fazer antes de abotoar o palitó.
Ah sim, já ia me esquecendo!
Se os indicados não quiserem responder ao Meme, não se preocupem.
Nenhuma assombração vai puxar seus pés durante a madrugada se vocês não enviarem isto para oito blogueiros em oito minutos.

#

Outra da boa: lembram da Zan e do 3:AM Magazine?
Pois então.
Ela resolveu me convidar, e ao querido Beto Canales (amigo virtual que conheci nesta delícia chamada Blogspot) para darmos uma mãozinha para ela, que vive fora do país e encontra dificuldades para contatar novos escritores aqui, no Brasil.
Vai ser bem bacana, pois assim a Zan vai poder se dedicar mais as traduções, o que significa que teremos mais textos, em mais línguas, em um menor espaço de tempo.

Logo, se vocês quiserem participar com seus escritos, basta dar uma conferida em algumas sugestões do 3:AM sobre o envio de textos e, concordando, mandar suas produções para esta que vos fala através do e-mail 3am.jana@gmail.com.
Lerei todos com o maior amor e carinho.
Por isso não se enrolem.
O site está cheio de novidades (e eu garanto que não é pouca coisa) e vocês não vão se arrepender.
Depois não digam que eu não avisei.

#

E o Robson, que mantém, além do seu blogue, um outro voltado somente para arte e literatura, chamado Pensandoarte, me convidou a escrever um textículo por lá.
Enviei para ele um, chamado Ditadura: Adote-me e ele já está no ar. Passem lá.
Isso me deixaria feliz.

#

Vou me mudar para a Cidade de Cabeça-prá-Baixo.
Onde ninguém precisa fazer nenhuma coisa que não tenha vontade.