04 setembro 2008

Chove.

O tempo é tão instável quanto meu apetite.
O frio que precede o calor ainda é o pior de todos.
O livro terminou, e eu me sinto de luto.
Queria terminá-lo, mas não queria.
Entende?
As idéias tão instáveis quanto o tempo e meu apetite.
Vem e vão, rindo da minha cara de sono.
Tenho vontade de dormir, mas não tenho.
Deve ser o luto.
Entende?
Não, não estou naqueles dias; só estou assim.
O livro terminou, e eu não queria.
Uma cadela no cio geme no prédio da frente.
Seus gemidos tão instáveis quanto o tempo, minhas idéias e meu apetite.
Dá vontade de escalpelar a dona do cachorro, mas não;
minha vontade mesmo é de dormir.
Mas não é.
Entende?